sexta-feira, 30 de março de 2012

IV caminhada Louis Braille





O SESC, em parceria com a Associação de Cegos do Estado do Ceará(ACEC), realizou hoje a Caminhada Louis Braille. A 4ª edição do evento aconteceu das 8h às 10h, na Av. Beira Mar.
Além da caminhada, estão previstos show musical, dicas para a construção de uma cidade acessível para todos e um momento de confraternização pelas conquistas alcançadas. O evento inicia a celebração ao Dia Nacional do Braille, lembrado dia 8 de abril. O Centro de Referência em Educação e Atendimento Especializado do Estado do Ceará (CREAECE), a Sociedade de Assistência aos Cegos, a Escola Instituto dos Cegos do Estado do Ceará, a Biblioteca Pública Setor Braille, SESA – Comissão de Saúde Ocular, a Casa da Esperança, CEDEF, pais e demais segmentos da comunidade estarão presentes, numa demonstração de apoio à iniciativa.

PAIXÃO DE CRISTO

A Sociedade de Assistência aos Cegos realizará na terça-feira dia 03 de abril a encenação da PAIXÃO DE CRISTO.
O evento se trata de uma apresentação teatral com a participação de 53 alunos contemplando a história de Jesus Cristo realizada todos os anos por essa Entidade com o objetivo de compartilhar através da arte cênica a história de vida de Jesus Cristo, bem como ressaltar a eficiência da pessoa com deficiência visual.

APRESENTAÇÃO PAIXÃO DE CRISTO
Dia: 03 de Abril de 2012.
Local: Av. Bezerra de Menezes
Percurso: Sociedade de Assistência aos Cegos / Av. Bezerra de Menezes
Horário: 16h
Duração 45 minutos

quinta-feira, 29 de março de 2012

Google usa deficiente visual para testar carro com piloto automático

Rota foi cuidadosamente preparada, diz a Google.
Steve Mahan não usou mãos, nem pés, e carro fez duas paradas programadas.
O Google usou um motorista com deficiência visual para testar o funcionamento de seu automóvel com piloto automático, informou nesta quarta-feira (28) a companhia, que publicou um vídeo no YouTube com a experiência.


Assista ao vídeo.


Steve Mahan ocupa o lado do motorista, mas não usa as mãos, nem o pés, para pilotar o carro. (Foto: Reprodução / YouTube / Google)
A gravação intitulada "Self-driving car teste: Steve Mahan" mostra a viagem de Steve Mahan, um homem com incapacidade visual de 95%, em um percurso por sua cidade a bordo de um Toyota Prius equipado com a tecnologia do Google para autocondução.
"Estou muito acima do que se considera estar legalmente cego", comenta Mahan nas imagens, nas quais explica como a perda da visão lhe impede de fazer coisas que antes podia realizar e o papel que poderia representar um automóvel como o da Google em seu dia a dia.
"Isto me daria a independência e a flexibilidade para ir a lugares onde tenho que ir e quero ir quando eu necessitar fazer coisas", avaliou Mahan.

Em seu deslocamento, Mahan fez duas paradas: uma na pista de acesso para veículos de um estabelecimento de fast-food e outra no estacionamento de uma lavanderia para buscar roupas

Continue a matéria acessando:


http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/03/google-usa-deficiente-visual-para-testar-carro-com-piloto-automatico.html
Fonte G1

quarta-feira, 28 de março de 2012

Lei de cartas oficiais em braile entra em vigor em Belo Horizonte

Determinação vale para portadores de deficiência visual. Para Juvenal Filho, deficiente visual de 66 anos, a lei é um progresso.
Entrou em vigor no sábado (24) a lei 10.439 aprovada pela Câmara Municipal de Belo Horizonte, de autoria do vereador Alberto Rodrigues (PV), que determina que os deficientes visuais recebam cartas oficiais em braile. Para isso, basta que a pessoa interessada procure a Prefeitura de Belo Horizonte, onde será feito o seu cadastramento, sem nenhum custo.

De acordo com o vereador Alberto Rodrigues, é dever da administração pública facilitar o acesso e a integração das pessoas com deficiência em todos os setores da sociedade. O vereador disse ainda que a proposta surgiu de uma necessidade, pois recebia reclamações recorrentes de pessoas com deficiência visual que tinham dificuldade frente a uma conta de IPTU, por exemplo.

“A gente vive é para aprender”, foi o que disse o ex-diretor do Instituto São Rafael, instituição especializada para deficientes visuais, José Juvenal da Cruz Filho, deficiente visual de 66 anos, ou seu Juvenal, como prefere ser chamado. Nos seus 50 anos de instituto, primeiro como aluno e depois como professor e, por fim, diretor, Juvenal Filho sempre manteve viva sua relação com a educação. Desde que aprendeu o método braile, esteve disposto a difundi-lo.

Para o ex-diretor, a lei é um grande progresso. “Tudo que se fizer nesse sentido, de levar o braile, de utilizar o braile para que a pessoa cega tenha acesso à leitura diretamente, é ótimo pra nós. Então essa lei é um avanço em Belo Horizonte”, disse seu Juvenal, que foi o primeiro deficiente visual a receber contas da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Depois de passar boa parte da vida dedicando seu tempo ao ensino para deficientes visuais, Juvenal resolveu ocupar o seu tempo de aposentado com a escrita, além de outras atividades, como transcrições para o braile. Já lançou quatro livros, e, para a surpresa de alguns, seus livros falam sobre memórias de imagens bem nítidas dos rios, das árvores do seu tempo de infância em São José da Lapa, na Região Metropolitana de Minas Gerais, quando ainda tinha parte da visão.

Para os que, por algum motivo, se depararam com a cegueira, seu Juvenal é taxativo ao dizer: “O fundamental é não desistir. É apenas mais uma dificuldade que surge para se enfrentar. E, por isso, é preciso pôr um pouquinho mais de dedicação e força para superar. Sem dúvida não há nada perdido.”
Fonte informação: www.g1.com.br

segunda-feira, 26 de março de 2012

BRASILEIRO DE FUTEBOL PARA DEFICIENTES VISUAIS

CURITIBA IRÁ SEDIAR CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL PARA DEFICIENTES VISUAIS EM NOVEMBRO DE 2012


- A cidade de Curitiba irá sediar neste ano duas competições esportivas voltadas a pessoas com deficiência visual total ou parcial. No mês de novembro, a capital paranaense sediará a Copa Brasil de Futebol de Cinco (adaptado a pessoas com deficiência visual total) e a Copa Brasil de Futebol B2 e B3 (voltado a pessoas com deficiência parcial de visão). Os detalhes para a realização dos jogos na cidade foram definidos na tarde desta quarta-feira (21), na sede da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (SMELJ).
- Participaram da reunião o Secretário Municipal de Esportes, Marcelo Richa, o Secretário de Estado dos Esportes, Evandro Rogério Roman, o presidente da Confederação Brasileira de Desporto para Deficientes Visuais, Sandro Soares, o Coordenador Estadual do Paradesporto, Decio Calegari, e representantes da Associação dos Deficientes Visuais do Paraná (ADEVIPAR).
- No encontro, ficou garantida a realização dos jogos em Curitiba, numa parceria entre o Governo do Estado, Prefeitura Municipal e a ADEVIPAR. A competição irá reunir na cidade cerca de 300 atletas, de 12 estados, que se classificam para o campeonato nacional após a realização, durante o ano, de torneios regionais.
- “O objetivo da reunião foi definir detalhes para a realização da Copa Brasil aqui no Paraná. Tivemos um resultado altamente positivo, com as secretarias municipal e estadual apoiando a ideia e garantindo a realização dos jogos em Curitiba”, destacou o representante da diretoria da ADEVIPAR, Mario Sergio Fontes.
- De acordo com o Secretário Municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcelo Richa, a realização dos jogos integra o objetivo de fazer da capital palco das principais competições esportivas do país. “Discutimos uma importante parceria entre o governo do Paraná, a prefeitura de Curitiba e a ADEVIPAR. A realização dos jogos traz um importante trabalho de integração social das pessoas com deficiência visual, além de trazer a Curitiba mais uma vez um grande evento esportivo”, afirmou.
- Esta é a segunda vez que Curitiba sedia a Copa Brasil de Futebol voltado a pessoas com deficiência visual. A primeira vez que a cidade recebeu o encontro foi em 1985, ano em que a seleção paranaense conquistou pela primeira vez o título do torneio. O Paraná disputa em 2012 o tetracampeonato da competição – foi campeão também em 1990 e em 2001. Ano passado, a competição foi disputada em João Pessoa.
- “O esporte é uma maneira de inclusão e agente fortalecedor da personalidade e da conduta da pessoa cega. Então, organizar um evento desse é uma alternativa de valorizar essas pessoas”, ressaltou o presidente da CBDV, Sandro Soares.
- O Secretário de Estado dos Esportes, Evandro Rogério Roman, salientou que o Paraná quer estimular o crescimento das modalidades do paradesporto e a realização da Copa Brasil segue esse compromisso do Governo do Estado de se tornar referência nacional em modalidades paradesportistas, com a realização de eventos regionais, nacionais e internacionais, além de programas para capacitação de profissionais especialistas nessas atividades.
Fonte: Secretaria de Esportes e Lazer de Maringá - COM/SEES - Patrícia Bahr - comunicação@sees.pr.gov.br - 41 3361 6535

Fonte: Bol Notícias

Com fones, peça de teatro 'ganha cores' para deficiente visual

Zezé Macedo entra no palco como Fonfunácia: peruca black power, vestido curto e decotado com enchimentos nos seios. Rebola, desce para o meio da plateia e exibe seus dotes físicos. Diz que vai se fazer de envergonhada na noite de núpcias e põe a mão no rosto, fingindo timidez.

O público enlouquece, entre eles 20 deficientes visuais que não podem ver a feia figura (inclusive o autor deste texto). Visualizam a personagem com a ajuda de fones de ouvido, por meio do qual uma voz conta tudo o que está acontecendo no palco.

A cena é do espetáculo "A Vingança do Espelho", em cartaz até o dia 29 de abril no Teatro Vivo, em São Paulo. A peça é pioneira no uso da audiodescrição no Brasil.

Betty Gofman interpreta Zezé, atriz que protagonizou chanchadas da Atlântida, em vários momentos de sua vida, da infância ao papel de Dona Bela na "Escolinha do Professor Raimundo".

"Disseram que a peça era comédia, mas é muito mais. Existe graça, mas existe emoção", diz Rodolfo Giannetti, 68, cego desde criança. Ele conta que nos anos 70 ia ao teatro mesmo sem narração.

Quem não vê ou enxerga pouco recebe o programa, em braille ou ampliado, e fones de ouvido. Todos sentam em seus lugares, e a audiodescritora Lívia Mota prepara os deficientes visuais para a peça.

Peça "A Vingança do Espelho" traz o recurso da audiodescrição para que pessoas com deficiência visual

Descrição da imagem: palco ao fundo, três telespectadores sentados olhando para o palco e um de pé com bengala passando entre as fileiras.


Lívia conheceu a audiodescrição em 2003, quando estudava na Inglaterra. A primeira descrição que fez foi informal, para uma amiga cega que precisava assistir a um filme para a faculdade.

Hoje, dedica 40 horas a cada roteiro que faz para as descrições. O mais complicado, explica, é escolher o que priorizar em cada cena e evitar que suas intervenções aconteçam ao mesmo tempo em que os atores estão falando.

Kátia Chimabokuro, 40, é entusiasta da audiodescrição. Sempre que tem peça com o recurso, tenta levar outras pessoas. "Quando fiquei cega, parei de receber convites para sair. Agora que posso ir ao teatro outra vez, quero levar todo mundo."

EUA E RIO

O espetáculo é o único em cartaz na cidade com audiodescrição. O recurso é usado nas apresentações de domingo, quando dez pares de ingressos são oferecidos gratuitamente a deficientes visuais.

Nos EUA, a audiodescrição vem se tornando realidade. Segundo Joel Snyder, presidente da Áudio Description Associates, 30 Estados americanos oferecem o recurso. Além disso, de 200 a 300 casas são acessíveis para cegos.

No Rio, o Teatro Municipal Carlos Gomes começou a oferecer este ano espetáculos com audiodescrição a cada duas semanas. A peça "As Mimosas da Praça Tiradentes" está em cartaz com os recursos de acessibilidade.

Fonte: Bol

quarta-feira, 21 de março de 2012

21 de março: Dia Internacional da Síndrome de Down

21 de março foi a data escolhida pela Associação Internacional Down Syndrome International para tornar mais visíveis ações e lutas de pessoas em nome do respeito e igualdade em relação aos portadores da Síndrome de Dowm. A homenagem foi feita em alusão aos três cromossomos no par de número 21 (21/3), responsável pela síndrome. De acordo com estudos científicos, o ser humano possui 46 cromossomos, mas as pessoas com Síndrome de Down possuem 47; um a mais no par de número 21. Por isso, a síndrome também é chamada de trissomia do 21.

A presença de um cromossomo a mais é determinada por um acidente genético. Pode ocorrer com qualquer casal, independente da faixa etária e herdada em poucos casos. A síndrome de Down não é um defeito nem uma doença. É uma ocorrência genética natural, que no Brasil acontece em 1 a cada 700 nascimentos e está presente em todas as raças.
Em Lafaiete, a Associação Viva Down realiza trabalhos que visam a esclarecer, informar e divulgar as inúmeras capacidades das pessoas com Síndrome de Down. A Associação Viva Down está localizada na rua Vítor Purri , 319, bairro São João, em Conselheiro Lafaiete e está inscrita no CNPJ sob o n° 08.704.288/001-97. Mais informações pelo telefone (31) 8801 1459. De acordo com os responsáveis pela entidade, doações para ajudar a manter o trabalho da Viva Down podem ser feitas por depósito na conta da entidade na agência 0127 da Caixa Econômica Federal, conta 137160 – 9, OP: 013

Saiba mais...
Caro leitor,
O vídeo abaixo foi veiculado no dia 18/03 pelo Programa Fantástico da TV Globo

Por que 21 de março?

O dia foi escolhido pela organização Síndrome de Down Internacional, (http://www.worlddownsyndromeday.org/), em alusão aos três cromossomos no par de número 21, que as pessoas com síndrome de Down possuem. Daí o dia 21/3.

A data, que foi instituída em 2006, ficou conhecida no ano passado, quando uma série de eventos foram realizados em todo Brasil, entre eles, uma audiência pública sobre Síndrome de Down no Senado Federal com a presença do jogador Romário, sua esposa Isabella e a filha mais nova, Ivy.

Este ano o Brasil tem muitos avanços a comemorar e pode dar um belo exemplo ao resto do mundo. Entre eles o aumento do número de matrícula de crianças com Síndrome de Down incluídas na rede regular de ensino, junto com todas as outras crianças.


Fonte: DeficienteCiente

quinta-feira, 15 de março de 2012

Novo aplicativo do iPhone ajuda pessoas com deficiência visual

A desenvolvedora LookTel criou um aplicativo para iPhone para auxiliar pessoas com deficiências visuais. Com o nome de Recognizer ("Reconhecedor", em inglês), o software é capaz de acessar a câmera do telefone e dizer em voz alta quais são os objetos que aparecem na tela.
Recognizer consegue também identificar objetos apartir do código de barras (Foto: Reprodução)

Para que isso ocorra, o usuário primeiro deve criar uma base de itens na memória do aplicativo, apontando a câmera do celular e especificando qual é o objeto que aparece.

Depois dessa documentação, toda vez que um deficiente visual ficar em dúvida com relação a um objeto, basta apontar a câmera do dispositivo para que o software possa identificá-lo e revelar em forma de áudio do que se trata. A identificação é praticamente instantânea, desde que o app “saiba” para o que está olhando.

Além de sua função principal, o LookTel Recognizer pode também ler códigos de barras. O aplicativo já está disponível na AppStore e custa US$ 9,99 (aproximadamente R$ 17).

Assista abaixo um vídeo que mostra o aplicativo em ação.


Fonte: G1

terça-feira, 13 de março de 2012

Cinco mil bibliotecas vão receber livros para deficientes visuais

Cinco mil bibliotecas de todo país vão receber livros feitos especialmente para crianças com deficiência visual. O repórter Walace Lara mostra como isso é importante para quem está aprendendo a ler.

Até o fim de março, 35 mil livros vão sair da gráfica com endereço certo. Cinco mil bibliotecas publicas e de associações de todo o país. São obras para crianças com deficiência visual. Cleide Severiano faz a revisão de cada página. E imagina a reação dos pequenos leitores. “A criança cega pergunta qual é a sensação de ler. Ela vai ver como é também. Ela vai ver que pode ler como uma pessoa que enxerga também”.

Os dez títulos publicados serão entregues de graça, pela gráfica Dorina Nowil, a maior gráfica de livros para cegos da América Latina.

A iniciativa surgiu depois que o Ministério da Cultura divulgou um dado impressionante: apenas 9% das bibliotecas públicas têm livros destinados a deficientes visuais.

As bibliotecas estão recebendo obras da literatura infantil. São livros repletos de ilustração com uma representação em braile, assim as crianças podem reconhecer as figuras.

Cada biblioteca vai receber sete livros, é pouco, mas já é um começo. “A ideia é que a gente estimule estas bibliotecas e desperte nelas a intenção de atender as pessoas com deficiência, assim como atendem as pessoas que enxergam”, afirma Susi Maluf, da Fundação Dorina Nowil.

Para os pais, esse é mais um passo para a inclusão social.


Fonte: Rede Saci

sexta-feira, 9 de março de 2012

V Encontro de Mulheres que Fazem a Diferença





Descrição da imagem: D. Josélia Almeida ao lado da Dra. Marineuza


Descrição da imagem: D. Josélia Almeida ao lado da Dra. Célia


Descrição da imagem: D. Josélia Almeida ao lado da Dra. Sergia




D. Josélia Almeida com as três homenageadas - Dra. Sergia, Dra Célia e Dra. Marineuza

Dia Internacional da Mulher

V Encontro de Mulheres que fazem a Diferença

Ontem ás 15:00hs a Sociedade de Assistência aos Cegos mantedora do Instituto Hélio Goes realizou o V Encontro de Mulheres que Fazem a Diferença.
As homenageadas desse ano foram: Sérgia Miranda – Desembargadora, Maria Célia Vasconcelos – Superintendente Adjunta da Receita Federal e Marineusa Rocha – Médica Oftalmologista



Descrição da imagem: As homenageadas sentadas lado a lado, na seguinte ordem: Sérgia Miranda , Maria Célia Vasconcelos e Marineusa Rocha.

quinta-feira, 8 de março de 2012

MULHER, UMA BELEZA QUE NUNCA ACABA

Quando uma criança vem ao mundo e é uma menina, começa aí mais uma história de encantamentos, capaz de tornar a vida mais leve, mais bela, mais sensível, mais pura e mais cheirosa. Tendo ela um bom punhado de cabelos na cabecinha ou apenas algumas penugens, a mamãe, a titia, a madrinha ou a vovó, logo tratam de colocar um lacinho, uma fivelinha ou um pitozinho, afinal de contas, enfeitar externamente, significa que a beleza interior do ser humano mulher, precisa ser enxergado por todos, desde cedo .
Vem a primeira infância, a segunda, o adolescer, a juventude adulta e a vaidade, a graciosidade, o perfume, a sensibilidade e tantas outras características femininas continuam estimulando com luz, com sabor, com bom cheiro e com pele todos os nossos sentidos. Quando Deus criou a mulher, apresentou para o mundo a imagem, o som, o odor, o gosto e o tato da felicidade.
Mesmo ao envelhecer, no outono da vida, quando as rugas, os cabelos brancos e o cansaço no rosto aparecem, a mulher mantém toda a essencialidade de sua criatura; Podemos perceber facilmente, que todas aquelas manifestações produzidas quando criança, quando adolescente, quando adulta, estão ainda presentes na maturidade. É o criador falando pra gente, que a mulher é o símbolo da eternidade, ela gera, ela cuida, ela educa, ela alimenta, ela reza, enfim, ela faz tudo para que a vida, também feminina, tenha sempre batom, perfume, bom penteado, e seja sempre vaidosa, não no sentido da beleza maquiada, mas no significado de ser uma Dádiva de Deus, por mais que o tempo passe.
Com todas as formas, com todas as alturas, com todas as estampas, com todas as classes sociais, seja de que maneira for a mulher, a presença dela é indispensável para que não desistamos de ter esperança, nem de crer na beleza que nunca acaba.

Paulo Roberto Cândido

Homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Dia Internacional da Mulher

Descrição da imagem: Uma rosa de cor rosa sobre um fundo branco e acima um texto escrito: Parabéns Mulher!

quinta-feira, 1 de março de 2012

Japoneses desenvolveram óculos para cegos

O principal operador de celulares japonês NTT desenvolveu os óculos especiais para pessoas cegas e com deficiências visuais que podem fornecer ao seu proprietário necessária informação sobre o lugar onde ele está.

As mini-câmaras montadas em óculos, transferem atraves da internet as imagens tiradas para um servidor especial. Em seguida, os óculos dizem em voz alta ao proprietário toda a informação necessária. Em particular, o sistema pode mostrá-lo o caminho, ler em voz alta inscrições de indicadores e avisar de obstáculos. O NTT espera que seu desenvolvimento terá grande sucesso entre pessoas com deficiéncias visuais.

Fonte: Voz da Rússia / Blog Vejam.com.br